You are currently browsing the category archive for the ‘have fun’ category.

Nova garota propaganda da Natura!

Às vezes a gente fica se perguntando como foi que não pensou nisso antes.

Massive Earthquake Reveals Entire Island Civilization Called ‘Haiti’

PORT-AU-PRINCE, HAITI—Less than two weeks after converging upon the site of a devastating magnitude 7.0 earthquake, American anthropologists have confirmed the discovery of a small, poverty-stricken island nation, known to its inhabitants as “Haiti.”

Located just 700 miles off the southeastern coast of Florida, the previously unaccounted-for country is believed to be home to an estimated 10 million people.

Even more astounding, reports now indicate that these people have likely inhabited the impoverished, destitute region—unnoticed by the rest of the world—for more than 300 years.

Researchers believe this was once the capital, though it’s unclear if the Haitian people ever had a truly functional government.

“That an entire civilization has been somehow existing right under our noses for all this time comes as a complete shock,” said University of Florida anthropology professor Dr. Ben Oliver, adding that it appeared as if Haiti’s citizens had been living under dangerous conditions even before the devastating earthquake struck. “Of course, there have been rumors in the past about a long-forgotten Caribbean nation whose people struggle every day to survive, live in constant fear of a corrupt government, and endure such squalor and hunger that they have resorted to eating dirt. But never did we give them much thought.”

Added Oliver, “Had it not been for this earthquake, I doubt we would have ever noticed Haiti at all.”

(clique para ampliar – arquivo PDF)

Outro dia vi uma chamada para uma estréia _ em algum canal da Sky _ assustadora: Mega Shark vs Giant Octopus.

Bem, agora parte do mistério está resolvido

No Guardian, a notícia de que finalmente uma empresa americana, Sarcasm, Inc.,  inventou um sinal de pontuação para o sarcasmo:

Depois de um pequeno histórico sobre tentativas pregressas de introduzir um sinal de ironia, finaliza a matéria:

The real breakthrough of Sarcasm, Inc is the realisation that, despite having used sarcasm and irony in the written word for hundreds of years, humans are simply too stupid to consistently recognise when someone has said the opposite of what they mean. The SarcMark solves that problem, and you can download it as a font for the reasonable price of $1.99 (£1.20). Our prayers are answered.”

É meio irônico que tenhamos que pagar para mostrar que estamos sendo irônicos. Mas alguém ainda mostrará que isso é perfeitamente válido, em termos da “economia dos sinais”.

Aguardamos agora o equivalente “open access“…

Quando li isso no Estadão, pensei que Olavón havia resolvido acabar com a supermaioria do Obama com as próprias mãos…

Sugestão: reveja este filme toda vez que você estiver com uma overdose de autoconfiança…

As meninas do Corporativismo Feminino têm algumas palavras a dizer sobre Educação Sexual, german style.

(clique para ampliar)

Copernicus, colaborador frequente do site “Ain´t it cool”, é um astrofísico que trabalhou no SETI, dá aulas de xenobiologia, e faz algumas observações sobre a ciência por trás de Avatar.  Ele dá uma boa nota ao filme, e eu também, mas tenho algumas ressalvas às opiniões dele [extraordinariamente, estou colocando o texto traduzido pelo Google Translate – que melhorou muito ultimamente – com umas maozinhas minhas onde necessário]:

“Eu tenho uma pequena reclamação, a de que, dadas as suas capacidades de trabalhar em rede, os Na’vi não deveriam ser tão tecnologicamente inferiores aos seres humanos. Na Terra, a maior barreira à progressão tecnológica é que as informações que existiam no cérebro dos seres humanos primitivos não podiam ser facilmente compartilhadas ou conservadas. Assim que a escrita foi desenvolvida, de repente, era possível armazenar informação fora do cérebro, e gravar e produzir conhecimento. O conhecimento disponível a um ser humano ou tribo passou de um valor de um cérebro (e uma quantidade mínima de tradição oral) para os milhares, e, finalmente, milhares de milhões de cérebros . O resultado foi uma explosão tecnológica e social. Hominídeos tiveram a tecnologia como lanças por cerca de meio milhão de anos, mas apenas 7.000 anos após o desenvolvimento da escrita já tinha sido capaz de deixar o planeta. E a partilha de conhecimento ainda está passando por uma revolução com o desenvolvimento da internet. Agora temos acesso instantâneo ao conhecimento combinado de toda a história da humanidade.”

Tirando a possibilidade de que o tipo de comunicação possível pela conexão neural Na´vi seja algo bem diferente da tecnologia de informação humana _ por exemplo, o fato de você poder trocar informação com outros seres não significa que você possa usar essa capacidade para fazer cálculos, como fazemos com nossos computadores _ tenho uma objeção mais geral a essa idéia de Copernicus.  Nossa cultura atual parece pensar que TIC é condição não só necessária como suficiente para a emergência de uma civilização como a nossa.   Essa percepção me parece bastante antropocêntrica, ou pior, ingênua, mesmo do ponto de vista de nossas realizações passadas.  Tomemos como analogia o exemplo da Máquina de Anticitera, um artefato mecânico datado de 100 AC e descoberto em 1901 e que desde então vem desafiando historiadores e arqueólogos pela sua perfeição de projeto e funcionamento _ demonstrando que os gregos antigos haviam conseguido aperfeiçoar uma tecnologia de precisão que só se imaginava ter sido inventada muitos séculos depois.  Isso mostra que uma possibilidade técnica não faz, por si só, que uma inovação seja adotada pela sociedade que dela é capaz.

Mas a minha principal queixa do ponto de vista evolutivo é que não há nenhuma maneira pela qual a vida na lua Pandora evoluiria para parecer tão semelhante à vida na Terra: há humanóides, cavalos espaciais, rinocerontes com cabeça de martelo, e pseudo-pterodáctilos. E para piorar, eles têm DNA, e o DNA é parecido o suficiente do nosso próprio para que DNA Na’vi e humano pode ser combinado!

Na verdade, não vejo maiores problemas para que formas de vida em outro planeta sejam semelhantes às formas de vida terrestres.  Mesmo na biologia terrestre há casos muitíssimo curiosos de “convergência evolucionária”, em que certos tipos de animais evoluem para preencher o mesmo nicho ecológico apesar de passados evolutivos muito diferentes.  É o caso, por exemplo, do morcego e das aves, da baleia e dos tubarões-baleia (para não falar de orcas e tubarões propriamente ditos), chacais e lobos-da-tasmânia, etc.  Tal tipo de convergência provavelmente sempre acontecerá se planetas diferentes tiverem condições geofísicas que propiciem o surgimento de ecologias similares.  Talvez Copernicus fosse mais ao ponto na sua crítica ao duvidar que as condições geofísicas de uma lua de um gigante gasoso pudessem ser similares à da Terra.   Entretanto, como alguns dos exoplanetas já encontrados são justamente gigantes gasosos que orbitam muito mais próximos de suas estrelas do que os gigantes gasosos do sistema solar, não é de todo impossível que uma lua de um planeta desses possa se parecer com a Terra.

Especificamente quanto à convergência antropomórfica entre humanos e Na´vi…essa é uma questão complicada.  A verdade é que não sabemos muito sobre o “nicho” ecológico que ocupamos, e portanto não dá pra saber se uma generalização é possível.  Aparentemente, somos uma espécie social e “generalista”, que terminou desenvolvendo um raciocínio simbólico por razões ainda não totalmente claras (embora imagine-se que a própria sociabilidade humana tenha desempenhando um papel importante aí).  Mas não sabemos se a forma humana é a “única” capaz de preencher esse “espaço” na paisagem adaptativa da ecologia terrestre (ou de um planeta similar).

Quanto à questão do DNA, acho que é uma questão difícil.  Temos poucos exemplos de moléculas como o DNA, mas é possível que a evolução na própria Terra tenha destruído todas as outras macromoléculas capazes de transmitir informação e concorrer com o DNA.   Assim, a “inevitabilidade” da participação do DNA na constituição da vida é um tópico em aberto, eu acho.

Finalmente, quanto à Física do filme, propriamente:

Mas o meu maior problema com a negociação que Cameron fez entre a Física e os efeitos visuais é com aquelas malditas montanhas flutuantes. Sério, montanhas flutuantes? Como diabos elas ficam lá em cima? Isto é um desrespeito tão flagrante às leis da física que certamente há algum raciocínio por trás disso.”

Pra ser sincero, no post-script do post alguém deu para Copernicus a mesma explicação que eu havia pensado: as montanhas são do material supercondutor unobtainium, e supercondutores levitam na presença de campos magnéticos.  É claro que isso faria com que fosse necessário explicar porque então o lugar da cidade da árvore, que foi destruída pelos humanos para que eles pudessem escavar ali já que havia uma imensa jazida de unobtanium por debaixo, não saía voando por aí… Mas a MINHA bronca com essa história do unobtanium é que não dá pra acreditar que uma vez conhecida a composição do material não fosse mais fácil tentar produzi-lo na Terra do que minerá-lo e transportá-lo por distâncias interestelares (*).   Segundo Copernicus, a equipe que criou o filme também elaborou uma Pandorapedia que está online.  O site dá algumas respostas a várias perguntas que eu ainda faria _ como por exemplo porque a nave-mãe em órbita de Pandora não detonou algumas armas nucleares sobre os Na´vi;  é que segundo o site a RDA, empresa que detém o monopólio de exploração de Pandora, está obrigada por tratado a não utilizar armas de destruição em massa.  Sei.   🙂

***

Uma outra vertente a ser explorada, é claro, é quanto à racionalidade econômica da exploração interestelar, em particular quanto ao comércio interestelar de bens.  Paul Krugman endereçou este problema em um paper de 1978, escrito sob o impacto de uma sessão de Star Wars, cujo abstract é o que se segue:

(clique para ampliar)

O leitor interessado também pode se dirigir a este post do Marginal Revolution sobre o mesmo febricitante tema.

***

(*) E sim, eu sei que o unobtainium não é uma invenção do Cameron mas sim uma tradição na ficção científica simbolizando qualquer material que tenha propriedades exóticas e seja, por definição, difícil de arranjar…

Steve McQueen em seu buggy, filmagens de Thomas Crown Affair, 1967

Bom, este post começou com uma conversa com minha esposa sobre a origem do “Buggy”, motivada, claro, pelo clima de férias que nos cerca.

Problema:  incorri na temeridade de dizer a ela que a origem do nome “buggy” vinha do automóvel Bugre.  Carioca, paradoxalmente derrapei no provincianismo de acreditar que o particular era o geral: o primeiro buggy que vi na minha vida foi um Bugre, portanto nunca me importei muito em conhecer da história desse carro.  Sempre dei por barato que “buggy” havia sido uma anglicização de “Bugre”, shame on me.

Mas sabem como é, a dúvida é uma sementinha que uma vez plantada no cérebro termina por se transformar em imensa e copada árvore, e foi sob sua sombra ameaçadora que decidi empreender uma expedição semântica à internet.  Encontrei o que se segue:

Buggy

No “The Word Detective“, há a seguinte explicação:

Buckeye buggy.

Dear Word Detective: I too am an Ohio transplant, originating from New Jersey, and I find this place to be a blessing. Currently I reside in the quiet countryside of Holmes County where if you know the region you quickly associate it with the Amish community that lives here. I have long wondered where one of the most common icons of the Amish got its name, that being the “horse and buggy” which is their primary transportation. I once asked a friend who is Amish and after a moment of puzzled expression and a shrug of the shoulders his reply was, “That’s just what we call it.” — Gone Buggy, via the internet.

Ah, yes, rural Ohio is quiet, isn’t it? Except, of course, for the crickets, which are, as I write, driving me slowly nuts with their infernal cheep-cheep-cheeping. We have many Amish (a Mennonite order named after Jacob Amman, a Swiss preacher) living in my area too, and I always worry about them when I see their buggies on the country roads around here. You’d think motorists would know enough to slow down when they see a horse and buggy, but apparently not, and there have been some fairly horrible car-buggy accidents in the last few years.

As for the origin of “buggy,” your Amish friend’s answer is about as good as anyone is going to get. As a term for a small one-horse vehicle, “buggy” first appeared in English around 1773, but it does not appear to be connected in any way to “bug” meaning “insect” (which is the source of “buggy” meaning “nuts”). There is a possibility that “buggy” is derived from the Northern English dialect word “bogie,” which means a small platform mounted on wheels (what we in the U.S. would call a “dolly”), but there’s no solid evidence of a direct connection. And even if there were, it wouldn’t do us much good because no one knows where “bogie” came from, except that it does not seem to be related to “bogey” as in “bogeyman.” So I’m afraid we’re fairly certain about where “buggy” didn’t come from, but completely in the dark as to where it did originate.

Muito bom.  Provavelmente pode-se estabelecer que a palavra “buggy” vem mesmo de “bug”, que é o nome que os americanos deram ao Volkswagen sedan sob a inspiração do nome popular que os alemães deram ao VW tipo 1: “Käfer” _ “besouro” em alemão.  Há uma história de amor entre os fanáticos pelo “dune buggy” e o VW:

Many people credit Bruce Meyers with the invention of the dune buggy.

To do that you first have a clear definition of what a dune buggy is. There were many pioneers before the “Manx”. In fact in a recent interview with Public Television on a show called “California Gold” Bruce to the host of the show, “I didn’t invent the dune buggy….I invented this style of dune buggy.” Bruce did invent the Manx and clearly spurred the whole fiberglass revolution but, there were many more buggies on the dunes before the Manx. Some of the first dune buggies were just street car frames with the bodies removed and larger tires added for beach use. The late fifties and early sixties saw a sand car craze that paralleled the street hot rod craze. Some were big and ugly but, they were the inspiration for a “kinder gentler” sand car, including the inspiration for the Manx.

With all of the “water pumper” action on the beaches it wasn’t long until the first noted VW ride was built by shortening the pan. Petersen Publishing even gives someone credit for this feat. It was Pete Beirning of Oceano, CA that did it in 1958. He took a rolled Bug and made a short pan buggy out of it. From that first trip out on the dune on through today, there has been controversy over V8 power or VW nimbleness. Many people took note of his pan car and followed suit.

OK.  Mas e o Bugre?

Bugre

A Wikipedia nos ajuda:

Bugre é a denominação dada a indígenas de diversos grupos do Brasil, por serem considerados sodomitas pelos europeus. A origem da palavra vem do francês bougre, que de acordo com o dicionário Houaiss possui o primeiro registro no ano de 1172 e significa ‘herético’, que por sua vez vem do latim medieval (século VI) bulgàrus. Como membros da igreja greco-ortodoxa, os búlgaros foram considerados heréticos, e o emprego do vocábulo para denotar a pessoa indígena liga-se à ideia de ‘inculto, selvático, não cristão’ – uma noção de forte valor pejorativo.

!!!!!

Pois é, é aqui que a coisa começa a ficar curiosa.  Diante de tão saborosa associação, saí em busca das ligações entre os pobres búlgaros, a heresia e a sodomia.  E encontrei este artigo, de todos os lugares da internet, nos Science Blogs:

Traumatic anal intercourse with a pig

No post, Darren Naish, um paleontologista britânico, nos brinda com a descrição do artigo científico “Zoophilia: a rare cause of traumatic injury to the rectum“, que descreve um ferimento retal encontrado em um infeliz fazendeiro búlgaro a quem ocorreu ficar na parte passiva de uma relação sexual com um porco.  Para sua infelicidade, o pênis do porco, que mede entre 45 e 65 centímetros, tem uma anatomia assaz curiosa, o que lhe rendeu momentos de infelicidade e não de prazer.

Mas os afazeres da população rural com seus animais de criação não vêm ao caso.  Nos comentários ao post, compreensivelmente mais bem humorados do que o normal nos SB, um leitor informa que a provável associação entre os búlgaros e a sodomia na mente popular tem a ver com o fato de que uma certa heresia foi bastante forte na região dos Balcãs _ a heresia bogomila.  Mais uma vez a Wikipedia nos salva:

The now defunct Gnostic social-religious movement and doctrine originated in the time of Peter I of Bulgaria (927 – 969) as a reaction against state and clerical oppression of Byzantine church. In spite of all measures of repression, it remained strong and popular until the fall of Bulgaria in the end of the 14th century.

Bogomilism is the first significant Bulgarian heresy that came about in the first quarter of the 10th century. The term “Bogomil” means “Dear to God” in Bulgarian. Bogomilism was a natural outcome of many factors that had arisen till the beginning of 10th century. (…) Another factor was the existence of older Christian heresies in the Bulgarian lands. The most influential among those were Manichaeism and Paulicianism, which were considered very dualistic. Manichaeism’s origin is related to Zoroastrianism; that is why Bogomilism is sometimes indirectly connected to Zoroastrianism in the sense of its duality. The social discontent of the peasantry and the presence of the old Christian heresies created a new Christian heresy under the name of Bogomilism.”

Embora o texto a seguir não se encontre mais na atual versão do verbete na Wikipedia, ele consta do comentário lá nos SB e pela internet a fora, explicando o curioso caminhar da associação entre “búlgaro” e “sodomita”:

The name of the movement was bulgarus in Latin (meaning “Bulgarian”), which included Paulicians, Cathars, Patarenes and Albigenses. It became boulgre, later bougre in Old French meaning “heretic, traitor”. It entered German as Buger meaning “peasant, blockhead” (and went on to English as bugger) and the French term also entered old Italian as buggero and Spanish as bujarron, both in the meaning of “sodomite”, since it was supposed that heretics would approach sex (just like everything else) in an “inverse” way. The word went on towards Venetian Italian as buzerar, meaning “to do sodomy” (the sexual acts performed by homosexuals). This word entered German again (see reborrowing) as Buserant and went on to Hungarian as buzerons, becoming buzi around the 1900s, a form still in use as a sexual slur for male homosexuals.

Afinal, já dizia o jurista inglês  Sir Edward Coke no seu Third Part of the Institutes of the Laws of England , de 1644:

Buggery is a detestable, and abominable sin, amongst christians not to be named, committed by carnall knowledge against the ordinance of the Creator, and order of nature, by mankind with mankind, or with brute beast, or by womankind with brute beast.”

***

Então é isso: “buggy” vem do alemão “besouro”.  “Bugre” vem do francês “bougre” para herético, mas também com o significado de “sodomita”, “invertido”.  Imagino que o Paulo Cavalcante lá de Rio Bonito, fundador da Indústria Carrocerias Bugre Ltda., jamais imaginou uma coisa dessas _ muito menos o Steve McQueen.

Se bem que eu sempre desconfiei do Pierce Brosnan, que faz o remake do “Thomas Crown Affair” e mostra as plumas em Mamma Mia…

39s…

O Ministério da Defesa britânico acaba de desmantelar seu departamento que cuidava de UFO´s, inclusive o 0800 para comunicar avistamentos.

As suspeitas recaem sobre Gordon Brown.

(daqui)

Absurdamente bacana homenagem do xkcd ao Homem de La Mancha.

Rôbei daqui, ó.

Xkcd

Nem me perguntem como achei isso:

Bicha do Demónio – Traição e Castigo, episódio 9 (aparentemente, de uma série)

É automático: você entra em qualquer lugar modernette, e os antenados e antenadas estão inevitavelmente lá, mostrando uns aos outros as telas de seus iPhones.  Eu achava que era o único que me incomodava com isso.  Ledo engano:

I admit it: I’m a bigot. A hopeless bigot at that: I know my particular prejudice is absurd, but I just can’t control it. It’s Apple. I don’t like Apple products. And the better-designed and more ubiquitous they become, the more I dislike them. I blame the customers. Awful people. Awful. Stop showing me your iPhone. Stop stroking your Macbook. Stop telling me to get one.

Embora eu não ache que empregados da Microsoft, em especial os mais entusiastas, concordarão com isto:

I know Windows is awful. Everyone knows Windows is awful. Windows is like the faint smell of piss in a subway: it’s there, and there’s nothing you can do about it. It’s grim, it’s slow, everything’s badly designed and nothing works properly: using Windows is like living in a communist bloc nation circa 1981. And I wouldn’t change it for the world, because I’m an abject bloody idiot and I hate myself, and this is what I deserve: to be sentenced to Windows for life.”

capivara(1)

Isso é coisa da Cora Ronai

Deu no Estadão:

Capivara é resgatada de espelho d’água do Congresso Nacional

BRASÍLIA – O resgate de uma capivara nos arredores do Senado animou a manhã desta sexta-feira esvaziada no plenário. O animal tomava banho no espelho d’água localizado na entrada do prédio com vista para o Palácio do Planalto, quando os primeiros funcionários da segurança começaram a chegar ao trabalho, por volta das 6h.”

***

As capivaras são conhecidas retardatárias.  As antas, raposas,  muares e até alguns tucanos já haviam chegado muito tempo antes.

Politicamente incorreto, mas perceptivo

And together, they fight crime!

Vietnamese immigrant, brought from that war-torn country as a tiny child.

A baron, the grandson of a princess, who lives in his family’s five-hundred year old castle.

A widow who once worked for the patent office.

A paraplegic.

A huffy gay man.

A former captain of paratroopers.

A mother of seven.

They are…

…Germany’s new conservative Cabinet.

091030-02-whale-eating-jumbo-squid_big

Mas e a Dilma?

Rara foto de um cachalote comendo uma lula gigante.

Agora o Serra já tem um bichinho de estimação para chamar de seu em 2010.  E melhor, se livra daquele mascote do tucaninho.  Ô bichinho enjoado, sô.

(hat tip: PMF)

The violence of the lambs

Alguém viu isso?  Existe MESMO?

Gosh.

Abaixo, um republicano sendo atendido pelo novo sistema de saúde criado pelo Obama.

Leia o resto deste post »

Do blog do Gideon Rachman no FT:

Chomsky banned in Guantanamo

October 14, 2009 1:05pm

An interesting little item here, on the banning of the works of Noam Chomsky from the prison library at Guantanamo Bay. One has to wonder about the mentality of the Pentagon lawyer, who was trying to obtain a copy of Chomsky for one of the detainees he is representing. Maybe his job at Guantanamo has led him to entertain all sorts of subversive thoughts?

Chomsky predictably interpets the ban on his work as further evidence that the US is slipping towards totalitarianism. But I see it another way. Obama has said that he is banning the use of torture on prisoners at Guantanamo. Subjecting them to the works of Noam Chomsky is clearly incompatible with the torture ban.”

Um detalhe pitoresco da matéria original do Miami Herald:

Library staff have since 2005 described the Harry Potter series as a borrowing bestseller among the mostly devout Muslim population — and shown off translated versions in the stacks that separate Arabic from Urdu, French from Farsi and cover more than a dozen languages.” [grifo meu]

Harry Potter.  Bah.

Vai ver é por causa disso.   🙂

scary

Uma sensação constante no trabalho.

Daniel Drezner foi medieval com o OscarNobel de Obama…

***

Outra leitura, aqui.

dandelionmoon_rtallamy-732594

Afinal, quando é que vão parar com essa babação do Brasil?  Viramos doce?  Até eu já estou enjoado, que dirá os boludos dos maricóns!

fada4-715792

Assim não dá!  Assim não é possível!  Deu no Estadão:

Brasil tem a supervisão bancária mais eficaz do mundo, diz relatório

Que enjôo!  Ninguém aguenta mais!

a_005-768185

Enquanto os ´mericano se enrolam na fábula da raposa e das uvas, este comentário me deu uma idéia:

I have been to Atlanta and have seen Centennial Park. It is a great area but to my knowledge, it is not used anymore; a multi-million dollar facility that is not used. And the most recent games, in China; they had to build many facilities and structures that cost lots and lots of money that probably won’t get used again. The point I am trying to make is that, getting a city ready to host an Olympic event takes millions of dollars.

Seria interessante se algum empresário brasileiro verdadeiramente empreendedor aparecesse com a idéia de desenvolver tecnologia para a construção de megaestruturas modulares, baratas e desmontáveis.  Evidentemente, o retorno desse cara não viria apenas das Olimpíadas, mas do licenciamento dessa tecnologia para o Exterior _ embora a Olimpíada pudesse ajudar na amortização do investimento. Eike, Steinbruch, onde vocês estão quando a gente mais precisa de vocês?

Não é uma idéia nova, mas teria de ser adaptada.  O problema é que talvez isso já tivesse que ter começado há algum tempo.

***

Estou quase criando uma tag nova: solucionáticas.  O próximo!

***

Abaixo do folder botei um artigo que saiu no Valor de hoje, de autoria de Heloísa Magalhães, chefe da redação carioca do jornal,  sobre a importância das Olimpíadas para a cidade do Rio de Janeiro. Leia o resto deste post »

Nowosad chama a atenção para uma notícia da Folha:

Ministério Público notifica Manoel Carlos por menina vilã

Parece que, se dependesse dos membros do Ministério Público brasileiro, filmes como “Exorcista” e “A Profecia (The Omen)” não poderiam ser produzidos, porque “nem todas as manifestações artísticas são passíveis de serem exercidas por crianças e adolescentes (sic)…”

Pois é.  Diz a notícia:

O Ministério Público do Trabalho do Rio encaminhou notificação ao escritor Manoel Carlos, autor da novela “Viver a Vida”, por causa do papel interpretado por Klara Castanho, de apenas 8 anos. Na trama, a atriz mirim interpreta uma vilã, Rafaela, filha de Dora (Giovanna Antonelli).

Para as procuradoras Maria Vitória Sussekind Rocha e Danielle Cramer, o trabalho infantil artístico deve ser comedido, observando não só os aspectos legais, mas principalmente eventuais reflexos que determinado personagem pode provocar no desenvolvimento da criança.

“Nem todas as manifestações artísticas são passíveis de serem exercidas por crianças e adolescentes. No caso em questão, uma criança de oito anos não tem discernimento e formação biopsicossocial para separar o que é realidade daquilo que é ficção. Isso sem contar com as eventuais manifestações de hostilidade que ela pode vir a sofrer por parte do público e não compreendê-las”, avaliam as procuradoras.”

Daí eu observei que há uma solução simples:

ferrugemsalva

O próximo!

bum

A história triste:

Mr Arinaitwe, who says he was employed at Kansanga Miracle Centre from 2002, has filed a case with Kabalagala Police Station alleging that Pastor Kiwewesi sodomised him between 2006 and 2007 and promised to pay him Shs3 million.

“He used me until 2007 when he got married. He promised me Sh3 million for my parents and said he would send me to the US to stay there with his cousin,” he told Daily Monitor on Monday.

Mr Arinaitwe also accuses Pastor Kiwewesi of harassment and threatening him with death after learning that he was coming out with the “secret”.

***

Na mesma thread, um leitor fala de outra manchete de sucesso: “Maniac Shoots Wrong Baby”.

Saudades do “Cachorro Fez Mal a Moça“…

(Hat tip: The Primate Diaries)

Zelaya está na embaixada brasileira em Honduras.

***

Imagine só se Honduras, em um rompante, declara guerra ao Brasil.

Eles até que podem entrar na embaixada e arrancar o Zelaya de lá.  O problema é, e nós, vamos fazer o quê?

Nenhum dos 3 caças da licitação chega tão longe.   Só se deslocarem as tropas da missão de paz no Haiti.   🙂

Impagável: títulos de alguns clássicos, se fossem escritos hoje.

Then: The Wealth of Nations

Now: Invisible Hands: The Mysterious Market Forces That Control Our Lives and How to Profit from Them

Then: Walden

Now: Camping with Myself: Two Years in American Tuscany

Then: The Theory of the Leisure Class

Now: Buying Out Loud: The Unbelievable Truth About What We Consume and What It Says About Us

Then: The Gospel of Matthew

Now: 40 Days and a Mule: How One Man Quit His Job and Became the Boss

Then: The Prince

Now: The Prince (Foreword by Oprah Winfrey)

***

Tem umas boas sugestões nos comentários, também.

***

Sugestões para obras brasileiras?

***

(*) título do blog “O Hermenauta” na versão aeroportuária.

Quando você pensa que já viu tudo, você se depara com RunPee.com.

O nome é auto-explicativo, mas lá vai: o site lista filmes, e os momentos dos filmes em que é possível dar uma escapadinha ao banheiro.   Eis um exemplo para District 9:

runpee

E ainda tem um mecanismo espertinho que mistura as letras da descrição da cena, para aqueles que não gostam de spoilers.

Pena que o acervo ainda é pequeno, especialmente de filmes clássicos.  É claro que o site lida com sensações muito subjetivas.  O primeiro Star Wars, por exemplo, só tem uma oportunidade para ir ao banheiro, segundo o site.

Por outro lado, é difícil imaginar qual a utilidade do RunPee.com na idade do DVD, mas…

Lendo este post do Ezra Klein sobre a crescente degradação do ambiente político norte-americano nas mãos do Partido Republicano _ exemplarmente simbolizada pelo caso da falta de educação sem precedentes do deputado Joe Wilson durante o discurso de Obama no Congresso _ deparei-me com este informativo sobre as tradições e costumes da Casa dos Comuns do Parlamento inglês.

Há um conselho sobre o uso da linguagem:

Unparliamentary language

Language and expressions used in the Chamber must conform to a number of rules. Erskine May states “good temper and moderation are the characteristics of parliamentary language”. Objection has been taken both to individual words and to sentences and constructions ‐ in the case of the former, to insulting, coarse, or abusive language (particularly as applied to other Members); and of the latter, to charges of lying or being drunk and misrepresentation of the words of another. Among the words to which Speakers have objected over the years have been blackguard, coward, git, guttersnipe, hooligan, rat, swine, stoolpigeon and traitor. The context in which a word is used is, of course, very important.

Infelizmente, olhando para nosso Parlamento tenho a sensação de que essas palavras o descrevem certeiramente, às vezes.

Tão vermelho quanto o Guaraná Jesus.  Que justiça poética.

[hat tip: Ecdise]

(*) Влади́мир Ильи́ч Улья́нов

Romantism, trekkie style

Technicians think they are engineers.
Engineers think they are physicists.
Physicists think they are mathematicians.
Mathematicians think they are philosophers.
Philosophers think they are technicians.

  • Parents who don’t want their children to pray in school are Anti-American zealots — parents who don’t want their children to listen to a speech by the President of the United States telling them to work hard and get good grades are noble patriots.
  • Peacefully demonstrating against the country starting an international war is treason — showing up with automatic weapons to protest healthcare reform is democracy at its finest.
  • Any government official with a desk job should have every action scrutinized — any government official with a badge and a gun should never be questioned or disrespected. At all. Ever.
  • Questioning the legitimacy of an election because the “winner” was selected by the Supreme Court is sour grapes — questioning the legitimacy of an election because the winner (by the largest number of votes in American history) is really a Kenyan born Muslim despite all evidence to the contrary is being a vigilant American.
  • Lying about a blowjob is an impeachable offense — lying about a war is no big deal, really.
  • Investigating a shady land deal involving the First Lady is a matter of National Identity — investigating the use of torture at the direction of the Executive Branch is a partisan witch hunt.
  • Executing Japanese officers for waterboarding prisoners during WWII shows that we have the moral high-ground on human rights — waterboarding prisoners of our shows that we have the moral high-ground on human rights.
  • Sitting two rows in front of Jane Fonda in a 1970 anti-war rally is an OUTRAGE! Shaking Saddam’s hand in 1983…meh, not so much.
  • Anyone who questions the president during a time of war is giving aide and comfort to the enemy and should be deported…unless the president in question has a (D) next to their name in which case you should undermine them at every turn even if you have to routinely make shit up to do it.
  • Socialism, Marxism, Communism and Fascism are all interchangeable words that mean pretty much the same thing.
  • Anyone who abuses drugs should be locked up indefinitely…unless they are a popular Republican radio host in which case they need your prayers as they recover from the illness of addiction.
  • Health Insurance companies have your best interests in mind and anyone who thinks otherwise is trying to turn America into the Godless heathen nation of Sweden where EVERYONE in the country dies (eventually).
  • Obama is an atheist communist muslim who attended a radical christian church.
  • Believing that human activity could impact the global environment is crazy talk — believing that an invisible man in the sky personally told George Bush to invade Iraq to fulfill Biblical prophecy is logically sound.
  • The verdict is still out on evolution — but Jesus Christ returning in our lifetimes is a pretty much a given.
  • The media are unquestionably biased against Republicans — Talk Radio, The Washington Times, The Weekly Standard, The Wall Street Journal, Rightwing Blogs, Fox News and NewsCorp are not part of the media.
  • The government should have no part in regulating multi-national corporations as they make decisions that impact the lives of millions of people — government should regulate individuals by determining who they can marry, what kind of intercourse they can have, what they can smoke, how to manage their pregnancy and how to proceed with end of life decisions.
  • Communicating with hostile nations is a stab in the back to our great nation — Reagan communicating with the USSR during the Cold War was Political Genius.
  • Iran is a mortal threat to our nation and anyone who attempts to talk to them is traitorous scum — selling weapons to Iran and then funneling the money to start wars in South America is clearly in our National interest.
  • George Bush kept the nation safe after 9-11 (NOTE: the Anthrax attacks, the DC Sniper and Hurricane Katrina don’t count. Also, the fact that 9-11 happened on his watch despite receiving a security briefing specifically warning of the attack doesn’t count either.)
  • Social Security, Meidcare, public schooling, public libraries, fire departments, police departments and the US Military are as American as Apple Pie — universal healthcare is ZOMGDEATHPANELSOCIALISM!!
  • George W Bush is a regular ‘ole Texas rancher just like you and me despite the fact that he was born in Connecticut, attended two Ivy League schools, bought the Crawford ranch just before running for president, sold it immediate after leaving office and is terrified of horses.
  • The two guys at the center of the Watergate and Iran-Contra scandals are trustworthy voices in discussions of current national policy and should be taken at face-value.

Daqui.

Saiu a lista das 10 cidades mais felizes do mundo, pela Forbes:

1.º Rio de Janeiro, Brasil

2.º Sidney, Austrália

3.° Barcelona, Espanha

4.º Amsterdã, Holanda

5.º Melbourne, Austrália

6.º Madri, Espanha

7.º São Francisco, Estados Unidos

8.º Roma, Itália

9.º Paris, França

10.º Buenos Aires, Argentina

***

São Paulo vinha pra festa, mas ficou presa no engarrafamento.  🙂

***

E isso apesar de 2012.  Last chance to see

pole-dancer

Uma boa pergunta: se a “rapture” realmente ocorrer, o que acontecerá com os animais de estimação dos bons cristãos?

Bem, alguns ateus empreendedores pensaram nisso, e fundaram a Eternal Earth-Bound Pets _ uma empresa dedicada a cuidar dos pobres animais de estimação depois que seus bem-aventurados donos se forem:

You’ve committed your life to Jesus. You know you’re saved. But when the Rapture comes what’s to become of your loving pets who are left behind? Eternal Earth-Bound Pets takes that burden off your mind.

We are a group of dedicated animal lovers, and atheists. Each Eternal Earth-Bound Pet representative is a confirmed atheist, and as such will still be here on Earth after you’ve received your reward. Our network of animal activists are committed to step in when you step up to Jesus.

We are currently active in 20 states and growing. Our representatives have been screened to ensure that they are atheists, animal lovers, are moral / ethical with no criminal background, have the ability and desire to rescue your pet and the means to retrieve them and ensure their care for your pet’s natural life.

We currently cover the following states:

Maine,New Hampshire, Vermont, Massachusetts, Connecticut, Rhode Island, Wisconsin, Minnesota, Michigan, Arkansas, Mississippi, Tennessee, Kentucky, Colorado, Oklahoma, Kansas, Washington, Oregon, Idaho and Montana … and growing.

Our service is plain and simple; our fee structure is reasonable.

For $110.00 we will guarantee that should the Rapture occur within ten (10) years of receipt of payment, one pet per residence will be saved. Each additional pet at your residence will be saved for an additional $15.00 fee. A small price to pay for your peace of mind and the health and safety of your four legged friends.

Unfortunately at this time we are not equipped to accommodate all species and must limit our services to dogs, cats, birds, rabbits, and small caged mammals.

Thank you for your interest in Eternal Earth-Bound Pets. We hope we can help provide you with peace of mind.

Vídeo aqui.

A FAQ é ótima.

O Beloit College escreveu o “mindset” dos alunos que serão admitidos em 2013.  Tem umas ótimas:

  • They have never used a card catalog to find a book.
  • Tattoos have always been very chic and highly visible.
  • They have been preparing for the arrival of HDTV all their lives.
  • Rap music has always been main stream.
  • Text has always been hyper.
  • They have never had to “shake down” an oral thermometer.
  • Bungee jumping has always been socially acceptable.
  • The European Union has always existed.
  • McDonald’s has always been serving Happy Meals in China.
  • Condoms have always been advertised on television.
  • Cable television systems have always offered telephone service and vice versa.
  • There has always been a Cartoon Network.
  • They have always been able to read books on an electronic screen.
  • Women have always outnumbered men in college.
  • We have always watched wars, coups, and police arrests unfold on television in real time.
  • Amateur radio operators have never needed to know Morse code.
  • Kevin Costner has always been Dancing with Wolves, especially on cable.
  • There have always been flat screen televisions.
  • Everyone has always known what the evening news was before the Evening News came on.
  • Someone has always been asking: “Was Iraq worth a war?”
  • Most communities have always had a mega-church.
  • The status of gays in the military has always been a topic of political debate.
  • There has always been a computer in the Oval Office.
  • NATO has always been looking for a role.
  • Two Koreas have always been members of the UN.
  • Official racial classifications in South Africa have always been outlawed.
  • Vice presidents of the United States have always had real power.

Caramba.

Fui fazer um comentário lá no blog do Sérgio Leo e recebi a seguinte mensagem de erro:

erro

Isso é que é uma AI fodona.  E em argentino, ainda por cima!   🙂

março 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
Add to Technorati Favorites

Blog Stats

  • 1,542,824 hits