Matéria do Valor fala do crescimento do faturamento nas livrarias brasileiras em 2009, que foi expressivo _ entre 10% e 20% para as várias redes.    Mas isto me chamou a atenção:

Os livros infantis foram o que puxaram as vendas das livrarias no ano passado, segundo pesquisa da ANL. Chama atenção nesse levantamento da entidade, o fraco desempenho das publicações de autoajuda. Em um ranking com oito posições dos segmentos literários que mais cresceram, em número de exemplares em 2009, os livros de autoajuda, que por muitos anos eram as vedetes do setor, amargaram a sexta posição. “Acho que as pessoas cansaram da fórmula. Ao ler o terceiro livro, as pessoas percebem que é sempre a mesma coisa”, disse Benclowicz.”  [grifo meu]

Pode ser uma leitura excessivamente benévola do que está acontecendo, mas acho uma boa coisa quando as pessoas param se preocupar com besteiras e começam a cuidar melhor das futuras gerações.