Um símbolo apolítico

Do Estadão:

Suíça ‘está perto’ de proibir minaretes no país, após referendo

Resultado parcial da votação deste domingo indica vitória da proposta que elimina a construção típica do Islamismo.

– Resultados parciais divulgados neste domingo indicam que os eleitores da Suíça aprovaram, em um referendo, a proibição da construção de minaretes no país.

O resultado ainda não é oficial, mas segundo a correspondente da BBC em Berna, Imogen Foulkes, será uma surpresa se confirmado.

A proposta havia sido apresentada pelo direitista Partido do Povo (SVP), que tem maioria no Parlamento e argumenta que as torres das mesquitas são um sinal de “islamização” da Suíça.

Mas o governo suíço, do Partido Social-Democrático (SPS), fez um apelo para que a população votasse contra a proibição.”

A matéria continua:

Mas Ulrich Schluer, parlamentar do SVP, rejeita as acusações de discriminação.

“Todo muçulmano é autorizado a se reunir com outros muçulmanos e ter uma religião juntos. Mas um minarete é um símbolo político. É um símbolo para introduzir, pouco a pouco, a lei Sharia na Suíça, paralelamente à legislação suíça, que é resultado da democracia suíça”, disse ele à BBC.

***

Um minarete é um símbolo político?  E uma Igreja com uma cruz em cima, também?

Eu sei o que vão me dizer os trolls usuais.  “Hermenauta, sua anta, os minaretes alegram os olhos de apenas 4,5% da população suíça, enquanto as cruzes das Igrejas dão alento a 80% das almas brasileiras,  pois somos o maior país católico do mundo“.

E eu vou ficar aqui pensando sobre que raio de lógica é capaz de transformar um ícone da minoria em símbolo político e neutralizar a política que vive nos ícones da maioria.

(*) não precisam corrigir, é um chiste.  :)