Tio Rei, aquele que todos sabem ser um intelectual honesto e respeitador (isto é, tanto quanto lhe permite a condição de “reservoir dog”), escreveu o seguinte:

Discovery Channel

quinta-feira, 19 de novembro de 2009 | 5:57

“Pelo carinho que ela me dedicou à noite, ela gostou, sim”.

Esse é Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da República, referindo-se a Mariza Letícia da Silva, a primeira-dama, quando indagado se ela havia gostado do filme “Lula, O Filho do Brasil”, que assistira na noite anterior.

Eu entendi certo, né? O presidente da República está falando daquilo? Mais especificamente, daquilo naquilo? Eu, sinceramente, preferiria que Lula fosse mais transparente no uso do dinheiro público ou nas causas do apagão.

O que eu digo? Sei lá por quê, pensei em parte da programação do Discovery Channel.

Est modus in rebus, dizia o poeta. As coisas têm limites! Ou deveriam ter.

***

Pô, que implicância.  Outro dia Tio Rei escreveu o seguinte em um post:

“Sem Dona Reinalda, não sou ninguém. Nem sexo eu faço sem ela, vejam só…”

Dá pra ser menos transparente, Tio Rei?  Sério, ainda não me recuperei do choque de ter vislumbrado, ainda que por um breve momento porque minha imaginação não é tanta e meus circuitos neurais têm proteção, a imagem de Reinaldão e sua mão peluda praticando o cinco contra um no banheiro, provavelmente pensando em, sei lá, Ayn Rand.

***

Quer dizer, Tio Rei fica aí defendendo a menina do vestido curto mas se horroriza com o sexo presidencial.  Do Lula, porque das escapadinhas adúlteras de don Fernando em situação de assédio sexual contra a empregada, nem uma palavrinha até agora.  Nem pra dizer que é mentira!