A gente tenta.  A gente tenta, mas…

Por caminhos tortuosos fui parar no site Feliz Nova Dieta, de Julio Lemos, um dos masterminds da Dicta&Contradicta.

rastros na blogoseira de que ele já tem um recheado boletim de ocorrências.

Como eu sou um ingênuo que acredita em sempre dar uma chance ao contraditório, segui uma recomendação dele e dei de cara com o site de John Lennox, professor irlandês católico que move uma cruzada contra o “novo ateísmo” (aquele pessoal que às vezes exagera).   Julio Lemos aponta para o setor de vídeos de John Lennox, e naturalmente interessei-me pelo vídeo intitulado “The New Atheism“.

Bem, acompanhei o vídeo até um certo ponto.  Lá pelas tantas, ele reproduz o final de um outro vídeo, um debate entre Richard Dawkins e John Lennox.  Estas são as anticlimáticas palavras finais de Lennox no debate:

I would remind you that the world Richard Dawkins wishes to bring us to is no paradise except for the few. It denies the existence of good and evil. It even denies justice. But ladies and gentlemen, our hearts cry out for justice. And centuries ago, the apostle Paul spoke to the philosophers of Athens and pointed out that there would be a day on which God would judge the world by the man that he had appointed, Jesus Christ, and that he’d given assurance to all people by raising him from the dead. And the resurrection of Jesus Christ, a miracle, something supernatural, for me constitutes the central evidence upon which i base my faith, not only that atheism is a delusion,but that justice is real and our sense of morality does not mock us. Because if there is no resurrection, if there is nothing after death, in the end the terrorists and the fanatics have got away with it…

Se a evidência central sobre a qual Lennox julga que deve basear sua fé é a Ressurreição de Cristo, então realmente não precisamos de um novo ateísmo.  O velho já é o suficiente.

***

Esta frase é curiosa:

“I would remind you that the world Richard Dawkins wishes to bring us to is no paradise except for the few”

Não foi o próprio Cristo que disse:

“Entrai pela porta estreita, porque dilatada é a porta, e espaçosa a senda que leva à perdição, e são muitos quem entram por ela. Que estreita é a porta e apertada a senda que leva à vida, e quão poucos são os que dão com ela!” (Mat. 7, 13-14).

“Muitos são os chamados e poucos os eleitos” (Mat. 22, 14).

“Disse-lhe um: ‘Senhor, são poucos os que se salvam?’ Ele lhe disse: ‘esforçai-vos para entrar pela porta estreita porque vos digo que muitos serão os que procuram entrar e não poderão’” (Luc. 13, 23-24).

Então porque diabos debitar na conta do ateísmo o fato de que nem todos irão ao Paraíso?  Que populismo é esse, minha gente?  É o bolsa-salvação??   🙂

Anúncios