Olhem, eu juro que tento…mas não consigo.

O sujeito não deixa.

Agora escreveu um post para falar mal de Lula, especificamente, em relação ao marco regulatório do pré-sal.  Até aí tudo bem, eu sequer sou um especialista nessa área e não vou me meter a falar sobre o que não entendo.  Mas essa aqui é terrível:

O petróleo do pré-sal, por enquanto, é uma quimera. Consta que está lá, quem sabe no volume que se anuncia, mas sua exploração comercial vai demorar muito. O demiurgo já anuncia, no entanto, a redenção do povo brasileiro. Em suma, quer que o Congresso aprove logo uma lei para que, a partir de então, todo bem que houver no Brasil seja caudatário desta sua suposta grande obra — que, sabemos, é só um etapa de um longo processo: seu marco verdadeiramente importante foi a lei de 1997 que permitiu a entrada de empresas estrangeiras na exploração de petróleo. E pelo regime de concessão, que continua nas áreas fora do pré-sal” [grifo meu]

Espere aí.

Quer dizer que “no longo processo” que levou ao pré-sal, tem um “marco verdadeiramente importante“, a “lei de 1997 que permitiu a entrada de empresas estrangeiras na exploração de petróleo“.

Pergunta-se: que papel tiveram as empresas estrangeiras na descoberta do pré-sal?

Nenhum.

E quem diz isso não sou eu, é o G1 da Globo:

A Petrobras informou nesta sexta-feira que descobriu petróleo leve na seção pré-sal da bacia de Campos, no mar do Espírito Santo, uma região ainda pouco explorada pela estatal.

Testes indicaram uma produção de cerca de 1.250 barris por dia”, afirmou a empresa em um comunicado, ressaltando que a estimativa é de grau API –que mede a qualidade do óleo– em torno dos 29 graus.

(…) A descoberta foi constatada durante os trabalhos desenvolvidos no Plano de Avaliação de Descoberta do poço 1-ESS-121-ESS, cuja comercialidade foi declarada em dezembro de 2006.

A Petrobras passou a pesquisar a existência de petróleo em áreas abaixo da camada de sal no ano passado, tendo anunciado em outubro descoberta de óleo leve nessa nova fronteira na bacia de Santos.

A camada de sal fica geralmente acima da rocha formadora de petróleo, que por causa da pressão abre brechas por onde o óleo escapa, formando as bacias petrolíferas. Por esse motivo, a Petrobras acredita que poderá encontrar novas bacias embaixo da seção pré-sal das bacias já existentes, como já foi informado anteriormente pela estatal.

Realmente trata-se de um longo processo, mas de um longo processo que passa pela construção de um saber e de uma tecnologia totalmente nacionais, começando pela profícua associação entre a Petrobrás e a COPPE/UFRJ, na Ilha do Fundão, e dos esforços do pessoal do centro de pesquisas da Petrobrás, o CENPES, também localizado na Ilha do Fundão para melhor aproveitar as sinergias com o campus universitário.

Ou seja: é de uma cara de pau indizível do picareta de Dois Córregos vir com essa história de “empresas estrangeiras” possibilitando, de alguma forma, a descoberta do pré-sal.  Ele está simplesmente roubando as vidas de centenas, talvez milhares, de pessoas que dedicaram sua existência a essa descoberta.

***

É por essas e outras que eu tenho que fechar este blog o quanto antes.  Senão, quando chegar 2010 eu vou estar acorrentado ao teclado.  Ou com uma camisa de força.   🙂

Anúncios