No post aí embaixo, Donga, o troll que está para ser excluído deste blog, veio me cobrar por ter falado que Mendonção foi derrubado do ministério a grampaços, quando todos os jornais ostentam a absolvição do ex-ministro por um juiz federal.

Isso é gozado, porque o Ministério Público já vai recorrer.  A sentença de um juiz federal não extingue a questão, pois nesse caso é possível uma apelação.

Por outro lado, Palocci foi absolvido pelo STF no caso do caseiro Francenildo _ em decisão irrecorrível _ e não me consta que Donga tenha aparecido lá pelos blogs anaeróbicos pedindo encarecidamente que justiça seja feita ao ex-Ministro da Fazenda.

Não que Donga tenha alguma importância em si, mas me parece evidente que a anaerobicidade em flor já começa a usar a sentença do Juiz como uma prova cabal da pureza virginal tucana.  O que me parece um exagero, para dizer com delicadeza.

Um detalhe.  Eu mesmo já defendi, em priscas eras, a abordagem do grupo do Mendonção, por um prosaico motivo: do lado do consórcio que eles defendiam, estava a TIM, e eu achava importante que houvesse um sócio estratégico no consórcio vencedor.  Hoje, continuo pensando assim, mas creio que esta exigência poderia ter sido feita já no edital do leilão de privatização.  Por isso acho no mínimo estranho se, como se anda dizendo por aí, o esteio do Juiz federal que absolveu Mendonça tenha sido mesmo o relatório do TCU afirmando não ter havido malversação de dinheiro público no processo, porque a oportunidade para um malfeito não se resume a isso nesse caso.

Anúncios