Tio Rei hoje, comentando o caso do professor negro preso por arrombar a própria casa nos EUA:

Um dos botões quentes da política a ser acionado quando a coisa aperta é e será sempre o racismo. E foi o que Obama fez ao esculhambar a Polícia por ter prendido um professor negro, confundido com um assaltante. Não por causa de sua cor, começa a ficar claro, mas porque ele arrombava a porta da própria casa. Uma vizinha acionou a polícia pensando ser um assaltante etc. Branco arrombando casa também é confundido com assaltante. A diferença é que o branco não tem o racismo a seu favor para intimidar as autoridades. Na versão endossada pelos politicamente corretos — não quer dizer que seja falsa por isso; mas também não quer dizer que seja naturalmente verdadeira —, o professor se identificou, mas o policial branco não quis nem saber: meteu o cara em cana. Na versão da polícia, que se dispõe a liberar uma gravação, não foi bem assim. O professor teria destratado o policial. Foi preso não por suspeita de arrombamento, depois da coisa esclarecida, mas por desacato. Um negro poder preso por desacato ou por qualquer outro motivo sem que seja racismo? Acho que sim, não?

É fantástico como nessas horas o mais veemente defensor dos direitos individuais da pessoa individual se transforma em um fascista dos mais baratos.

Quer dizer, eu estou tentando entrar na minha casa.  Aí o policial vem me prender porque eu estou tentando entrar na minha casa.  Aí eu xingo o policial, porque eu sei que se eu fosse branco o policial seria o primeiro a se oferecer a me ajudar a entrar em casa.  Aí eu vou preso por desacato.

Ô, raça.

Anúncios