Deu no Globo:

Site do Ministério do Trabalho causa constrangimento a usuário

RIO – Quando o economista Marcos Costa entrou no site do Ministério do Trabalho e Emprego para consultar o andamento da sua solicitação do seguro-desemprego e viu as letras dispostas na tela pelo sistema de verificação humana captcha, achou que se tratava de uma piada de mau gosto. A palavra que deveria ser digitada para que a pesquisa continuasse era “vagabundo”. Ofendido, o economista, que estava desempregado há um mês, escreveu para o Eu-Repórter, a seção de jornalismo participativo do jornal O GLOBO.

“Se é uma forma de evitar consultas por robôs, tudo bem. Mas ter a infeliz ideia de colocar essa palavra numa consulta que será feita por alguém que está desempregado é um desrespeito. Lembro que o PT não gostou quando o (ex-presidente) Fernando Henrique chamou os aposentados com menos de 50 anos de vagabundos. Agora, o atual governo faz o mesmo com quem está desempregado no meio de uma crise econômica mundial?”, questionou.

Uma busca no site do ministério pode oferecer outras surpresas. “Potranca”, “frouxo”, “perua” e “saliente” são palavras que podem tornar a consulta do Seguro Desemprego, no mínimo, curiosa. O aplicativo utilizado pela Datamec, empresa terceirizada que presta serviços para o ministério, apresenta na tela uma folha semelhante a um caça-palavras com códigos circulados, dos quais apenas um forma uma palavra em português. O usuário deve identificá-la e digitá-la.” [grifo meu]

***

Vá ser subliminar assim no talk-show do Olavón…

***

O gerador de captchas devia ser aleatório.

Ou é sabotagem tucana, ou as máquinas estão finalmente se rebelando.  :)