E para quem está assustado com o desempenho do Speedy, uma novidade:

Remessa de lucros e dividentos dobra no setor de telecom em 2008

Remessa de lucros e dividentos
dobra no setor de telecom em 2008

Entre 2007 e 2008, a remessa de lucros e dividendos do setor de telecomunicações no Brasil quase dobrou, passando de US$ 461 milhões para US$ 881 milhões. Isso representa um crescimento de 91%, contra 55% de expansão do total de remessas de divisas do Brasil no período, que passou de US$ 16.706 milhões para US$ 25.959 bilhões. O ranking dos países destinatários das remessas é liderado pelos Estados Unidos (24% do total em 2008 e crescimento de 120% entre 2008 e 2007) e Espanha (17% do total e crescimento de 137%), de acordo com os dados do Banco Central.

Não foi só o setor de telecomunicações que acelerou a remessa de lucros e dividendos no ano passado, em função da crise econômica mundial que atingiu especialmente Estados Unidos e Europa. No entanto, foi um dos que mais ampliou o nível de remessas, embora sua participação no total seja pequena (3,4%). O setor financeiro cresceu 69,4% (de US$ 1.808 milhão para US$ 3.063 milhões).

A análise desses números — juntamente com a avaliação da expansão modesta dos investimentos em telefonia fixa e dados nos últimos dois anos e do aumento acentuado do número de reclamações em relação aos serviços de banda larga — deveria ter ligado o sinal de alerta na Anatel. Os dados sinalizavam a possibilidade de um problema de qualidade na prestação do serviço, ligado a um descompasso entre o grande aumento de tráfego e o investimento na capacidade da rede. O problema aparentemente era maior — como acabou se revelando — na Telefônica, a única a registrar um apagão em toda a sua área de concessão no serviço Speedy, no ano passado.

Anúncios