O Airbus A310 da Yemenia Airlines que caiu no Oceano Índico ontem pertenceu à empresa brasileira Passaredo Transportes Aéreos (que a vendeu durante a crise cambial de 1999) segundo dados da Aviation Safety Network:

passaredo

(clique para ampliar)

Aliás, a pobre aeronave era mais que rodada, embora já estivesse há quase dez anos a serviço da Yemenia, que a comprou da Passaredo.

Acharam um sobrevivente até agora _ segundo os jornais, uma criança pequena.  Que coisa.

***

Segundo as autoridades francesas, a aeronave da Yemenia havia apresentado defeitos em uma inspeção, e a companhia iria ser inquirida pela União Européia.

Em uma matéria da SkyNews, encontrei o seguinte:

The European Union will soon propose the creation of a global blacklist of airlines deemed unsafe.

“My idea is to propose a world blacklist similar to that in the EU,” Transport Commissioner Antonio Tajani.”

Francamente, me espanta que isso já não exista.

Anúncios