0,1020,1545343,00

Finalmente apareceram corpos.

Por mais de mau gosto que tenha sido a alusão do Jobim à pouca probabilidade de aparecerem corpos devido aos tubarões, eu também achava a mesma coisa.   Uma vez vi um relato de pesquisadores que habitaram temporariamente a base da Marinha nos rochedos de São Pedro e São Paulo onde eles diziam que como a região não é rica em nutrientes os tubarões por ali são extremamente vorazes, sendo um perigo para pesquisadores desprevenidos que por isso mesmo nunca mergulham sozinhos.  Como o provável local da queda está tão ou mais em alto mar que os rochedos, imagino que os tubarões que andam por ali compartilham dessa voracidade.

Outra notícia é que a Marinha francesa enviou um submarino nuclear de ataque para auxiliar na busca às caixas-pretas.  O submanino é o “Emeraude”, da primeira geração de submarinos de ataque franceses e portanto um pouco velhinho, embora tenha sofrido reformas há relativamente pouco tempo.

Ele possui um sistema de sonar passivo, o DSUV-62 C, que consiste em um conjunto de hidrofones rebocados pelo submarino a partir de um cabo com cerca de 80 metros de comprimento.  O detalhe é que esse sonar é fabricado pela firma francesa Thales…a mesma empresa que fabrica os tubos Pitot que vêm sendo acusados como os grandes vilões por trás da queda do AF 447…justiça poética?

Anúncios