linhatropical

Deu no JB:

O bubum postal e o turismo sexual

RIO – A partir de agora, aqueles famosos cartões postais que exibem mulheres esculturais apenas de biquíni e que não realcem outro tipo de beleza que não as belas paisagens do Rio, estão ilegais. A deputada Alice Tamborideguy (PSDB -RJ) elaborou um projeto de lei que proíbe a veiculação, exposição e venda de postais turísticos que utilizem fotos de mulheres em trajes sumários, que não mantenham relação ou não estejam inseridas na imagem original dos cartões-postais. A lei foi sancionada pelo governador Sérgio Cabral e publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial do Estado.

Inicialmente elaborada pela deputada em 2005 e aprovada pela então governadora Rosinha Garotinho, a lei nº 2813/2005 foi modificada este ano. Uma das alterações diz respeito à fiscalização dos locais de venda dos cartões postais. Cabe à Secretaria de Turismo do estado, a tarefa de fiscalizar os pontos de venda de cartões postais.

O estabelecimento que descumprir a lei, está sujeito à uma multa de R$ 968,60 e em caso de reincidência, R$ 1.937,20 a penalidade vale tanto para quem vende, quanto para quem produz os cartões-postais. Segundo a deputada, a renda adquirida com as multas serão destinadas à Fundação para a Infância e Adolescência (FIA) do estado do Rio de Janeiro. – Eu arrumei melhor a lei neste ano. Quando a elaborei em 2005, não havia quem fiscalizasse os pontos de venda – diz Alice.

Alice Tamborideguy alega ainda que as fotos dos postais incentivam o turismo sexual e a exploração da imagem da mulher, além de criarem quando enviadas por turistas ao exterior, uma imagem negativa das cariocas. – A gente tem tanta praia bonita, tanta paisagem, porque tem que ter mulher em traje sumário nesses cartões? A mulher brasileira não tem que ter chamariz, o que tem que ter chamariz é a paisagem – defende a deputada.

E os cartões, de fato, vendem. Tereza Lima gerente de uma banca no bairro de Copacabana, confirma que as fotografias das brasileiras são as preferidas dos turistas estrangeiros. – Os cartões são baratos, custam apenas 1 real. Vendem muito, mas só os gringos compram – afirma.

Já outro responsável por uma banca em Copacabana que não quis se identificar, alega que a venda dos catões caíram devido à ” financeira internacional”. – Desde a crise, não tenho vendido muito esses cartões porque o número de estrangeiros que são os que compram, caiu.

Tropical

Uma das empresas que produzem e comercializam estes cartões é a Colombo Card. No site da empresa, a “Linha Tropical“, apresenta cartões com mulheres de costas e biquini mínimo.

***

O próximo passo, decerto, será banir as máquinas fotográficas em poder dos turistas.

***

O bacana é que a líder desse movimento pela cingapurização do Rio de Janeiro, Alice Tamborindeguy, é irmã de Narcisa Tamborindeguy, alguém que além de demonstrar que nome é destino, protagonizou os seguintes edificantes eventos, segundo a Wikipedia:

No carnaval de 2008 protagonizou, completamente bêbada, mais um de suas aparições típicas no programa do Amaury, parando no YouTube junto com os anteriores, no qual se pode ver seu peito desnudo. Há algum tempo foi filmada no seu apartamento atirando ovos podres (1:00 m) em transeuntes que passavam na calçada.”

Mas ninguém é dono de seu irmão, não é mesmo?  Além disso, sabe-se que a deputada Alice é uma pessoa a quem não falta objetividade.  Nem senso cívico.  O que não se sabia mesmo é que ela, tão presente na Caras, fosse uma inimiga das bundas.