Como sabem os 4,5 leitores deste blog, o atual Ministro das Comunicações, Hélio Costa, deve sua carreira política aos inúmeros anos em que foi repórter da “Rede Globo”, inicialmente no Fantástico, depois como apresentador do “Linha Direta”.  A despeito disso, porém, seus anos de Rede Globo primam por uma ausência ensurdecedora (e suspeita) em sua biografia oficial.

globo3

Por essas e outras é que o Ministro talvez seja o mais dileto exemplo da teoria da captura que se tem notícia na política brasileira.  Enquanto nos países desenvolvidos e em desenvolvimento o Ministério das Comunicações ou seus equivalentes não falam em outra coisa que não expandir a banda larga, no Brasil o Ministro parece ter outras idéias.  Do noticiário especializado Teletime:

Juventude tem que “despendurar” da internet e voltar a ver TV, diz ministro

A abertura do 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, promovido pela Abert, nesta terça-feira, 19, contou com um comentário inusitado do ministro das Comunicações, Hélio Costa. O ministro fez uma defesa arraigada do setor de rádio e televisão, e sugeriu que os jovens devem usar menos a internet e assistir mais programas de TV e de rádio.

“Essa juventude tem que parar de só ficar pendurada na internet. Tem que assistir mais rádio e televisão”, afirmou o ministro em seu discurso, após relembrar a distância entre o faturamento da radiodifusão e das telecomunicações. “O setor de comunicação fatura R$ 110 bilhões por ano. Desse total, somente R$ 1 bilhão é do rádio e R$ 12 bilhões das TVs. O resto vocês sabem muito bem onde está”, provocou o responsável pelas comunicações do país.”

Vejam que o Ministro não está dizendo que os jovens têm que largar a internet e ir namorar, ou estudar, ou praticar esportes.  Está dizendo que os jovens têm que despendurar da internet _ que é uma indústria de telecomunicações _ e se pendurar na televisão _ que é uma outra indústria de telecomunicações, mas é mais próxima ao Ministro.