Como alguns dos meus 4,5 leitores devem estar sabendo, o ônibus espacial Atlantis está no espaço, em missão de manutenção do telescópio espacial Hubble.  O telescópio, colocado em órbita em 1990, revolucionou a astronomia e o nosso entendimento sobre o Universo, mas estava profundamente necessitado de uma meia-sola desde sua última “revisão” em 2003.  Espera-se que, tudo correndo bem, ele continue funcionando até 2014; após a atual missão, suas capacidades, aliás, estarão em seu ápice, já que a ele serão agregados novos instrumentos que não existiam em sua configuração original.

Mas o que me interessa mesmo neste post é isso:

cowboyspace

(clique para ampliar)

Eu sou do tempo em que “astronauta” era quase sinônimo de um ser humano excepcional, com vigor e resistência acima da média, verdadeiros pilotos de prova (se não me engano a maioria deles tinha mesmo essa profissão).  Mas olhem bem a imagem dos tripulantes da Atlantis na missão STS-125.  São senhores e senhoras de meia idade.

O NYT confirma a tendência, em uma matéria sobre a atual tripulação da Estação Espacial Internacional, que pararam um pouquinho para ver o novo “Jornada nas Estrelas”:

Mr. Barratt, 50, Russian cosmonaut Gennady Padalka, 50, and Koichi Wakata, 46, of the Japan Aerospace Exploration Agency settled into the node, named “Unity,” after dinner and secured their feet with floor straps to keep from floating during the screening, she said. 

They are the 19th crew since 2000 to put in time at the International Space Station, which is a series of large modules connected by smaller nodes. Getting together for a “movie night,” she added, was a tradition on the station. 

Mr. Barrat said in a press release that the original series inspired him to become an astronaut and would be a perfect film selection for the space station.” [grifo meu]

O espaço já não é mais aquele: turistas ricos e veteranos de meia idade o habitam.  À juventude, só resta o inner space de seus quartinhos e o Twitter.

Anúncios