Murdoch acusa o golpe e mostra que a News Corporation também está ferida:

Murdoch mostra pessimismo com economia e critica conteúdo grátis na Internet

O empresário do setor de mídia Rupert Murdoch, presidente da News Corp, está pessimista em relação à crise econômica e seus reflexos sobre o setor de comunicações. Ele acredita que as perspectivas de longo prazo sejam ruins “porque as pessoas estão mais pobres do que estavam”, situação que ainda demora para se reverter. Ele também mostrou preocupação com as medidas anticíclicas que estão sendo adotadas contra a crise. “Os governos estão, em geral, gastando muito dinheiro, imprimindo dinheiro, e isso gera inflação”, disse, prevendo um cenário sombrio. “Eu rezo para estar errado”. Em uma rápida entrevista dada ao vivo durante a NCTA Cable 2009 ao jornalista Neil Cavuto, da Fox News (controlada pela News Corp), Murdoch fez uma única referência ao setor de TV paga, elogiando o desempenho dos canais Fox. O empresário preferiu focar suas análises sobre o setor de jornais impressos, onde defendeu a adoção de modelos pagos na Internet. “A publicidade sozinha não vai compensar as perdas de receita que estamos tendo”.

Depois, ao participar do debate com os presidentes de outros grupos de comunicação como Jeffrey Bewkes, da Time Warner; Philippe Dauman, da Viacom; e Mike Fries, da Liberty Global, Murdoch voltou a fazer críticas à distribuição gratuita de conteúdos pela Internet, especificamente vídeo. “Só quem está ganhando dinheiro com isso são os sites de busca”, disse. Inicialmente, a referência havia sido explícita ao Google. Depois, Murdoch preferiu generalizar falando simplesmente de “agregadores” de conteúdo e sites de busca. (…)” [grifos meus]

O interessante é que, como mostra Felix Salmon, Murdoch deu uma volta de 180 graus em relação às suas posições de 18 meses atrás:

“We don’t mind what platform news appears on. We’re platform neutral: newsprint, your Blackberry, your PC or whatever,” Murdoch said.
He also said that News Corp. was likely to get rid of subscriptions for the WSJ.com Web site in favor of a free model that would depend on advertising.

Eu e minha boca grande“, ele deve estar pensando agora.