No Guardian, uma matéria interessante sobre a IKEA (para quem não sabe, um dos maiores vendedores de móveis do mundo e “inspiração” não-declarada da Tok&Stok), demolindo a imagem de “environment friendly” que ela vem tentando construir.

A IKEA, que pertence a uma família sueca, já andou frenquentando a mídia por motivos pouco nobres.  Como por exemplo sua peculiar governança corporativa, estruturada sobre uma “instituição não-lucrativa” cujo objetivo parece ser a evasão fiscal.

A matéria do Guardian informa que a IKEA é a maior rival de uma legislação que está para passar nos EUA e exige o rastreio de toda madeira vendida no país, de forma a comprovar que ela foi produzida legalmente.  Esse é um grande passo contra o deflorestamento, mas a IKEA parece acreditar que realizar tal controle é algo “irrealista”.  Embora esse “irrealismo” só fique aparente quando exigido por lei, mas desapareça quando são necessárias ações de marketing