Do Painel da Folha:

Defensor de maior transparência nos gastos da Câmara, o novo corregedor, ACM Neto, teve 70% de sua campanha à Prefeitura de Salvador, em 2008, bancada de forma oculta. Foram R$ 3,98 milhões que saíram de contas do DEM para o caixa do candidato. Esse tipo de transferência, permitido pela Lei Eleitoral, impede a identificação dos doadores.

***

Isso é comum no DEM; a incensada Kátia Abreu usa o mesmíssimo expediente.

Anúncios