Tem tempo que não falo de Tio Rei.  Ele celebrou o lançamento de seu livro em Brasília:

Emocionante mesmo o lançamento de O País dos Petralhas em Brasília. Quem esteve lá sabe disso. Mais de 300 pessoas ao longo da noite. Terminei de assinar os livros perto da meia-noite. O encerramento oficial estava previsto para as 22h. Recebi leitores de Anápolis, como Cátia Zago, e de Goiânia, como Carlos César Higa. Fiquei impressionado, e muito bem-impressionado, com o número de jovens ente 17 e 25 anos – um deles tinha… 14!!! Estavam lá muitos estudantes da Universidade de Brasília. Sim, a UnB tem salvação – e é claro que há na universidade pensamento livre, que não se subordina à esquerdopatia que infelicita o ensino universitário no Brasil.”

Hãããã…”mais de 300 pessoas ao longo da noite“.  Na boa, qualquer aniversário em Brasília costuma reunir mais gente.

Mas Tio Rei continua a ser um monstro esperançoso, e sua turnê para o lançamento do seu livro está criando uma nova espécie: a “confraria do chapéu“.

Reinaldo vende a “confraria” como um movimento espontâneo.  Mas neste blog, de um sujeito que veio a Brasília de ônibus especialmente para a romaria cerimônia, descobri a terrível verdade:

Reinaldo chegou às 19 horas em ponto com seu tradicional chapéu. Eu não peguei o meu porque a livraria só liberava para quem comprasse o livro na hora. Culpa minha que comprei o livro Aeroporto de Congonhas enquanto esperava meu vôo para o Rio de Janeiro no final de setembro.

Enfim, pelo menos uma coisa essa gente tem na cabeça, não se pode negar.

Anúncios