Então ficamos assim: o Protógenes largou o caso para ir fazer o seu curso de promoção. Diz a nota publicada pela PF:

O delegado Protógenes Queiroz, responsável pelas investigações da Operação Satiagraha, entrou no dia 13 de maio com pedido de liminar junto à 3ª Vara Federal do DF para que fosse matriculado no XXII Curso Superior de Polícia, alegando preencher os requisitos exigidos para freqüentar o Curso e contestando os critérios estabelecidos pelo Ministério do Planejamento para contagem de tempo do serviço público. No dia 20 de maio, a Justiça determinou a matrícula e freqüência do delegado no referido Curso. No dia 02 de junho foi publicada Portaria da Academia Nacional de Polícia com a convocação de Queiroz.

O Curso Superior de Polícia foi instituído em 1998 como instrumento de aperfeiçoamento e atualização dos delegados e peritos federais, pré-requisito para ascensão à classe especial, último degrau da carreira. É realizado para servidores que tenham mais de nove anos na carreira policial;

Então o Protógenes vai passar para o último nível da sua carreira. O que isto significa? Isso, segundo a edição número 43 da Tabela de Remuneração do Funcionalismo Público Federal significa o seguinte:

Fazendo o curso e passando para a categoria Especial, Protógenes passa a ganhar mais dois mil reais, brutos. Muito menos que isso, descontados os impostos.

Quer dizer, o cara que poderia ter a qualquer momento molhado a própria mão com 1 milhão de dólares de Daniel Dantas está largando o caso de sua vida para ganhar mais quase dois mil reais a mais por mês, pelo resto de sua vida. OK, vamos fazer uns cálculos.

Diz o Decreto 2.565, que rege a promoção dos Policiais Federais:

Art. 3º São requisitos cumulativos para a progressão na Carreira Policial Federal:

I – avaliação de desempenho satisfatório;

II – cinco anos ininterruptos de efetivo exercício na classe em que estiver posicionado.

Se ele cumpriu tempo para ir para a Especial, isso quer dizer que ele tem no mínimo 15 anos de carreira. Vamos supor que ele se aposente aos 35 anos de carreira e ainda tenha uma sobrevida de, sei lá, uns quinze anos depois disso, se Daniel Dantas deixar. Isso significa que Protógenes viverá mais uns 35 anos recebendo esses dois mil reais ao mês a mais, o que dá (computando 13o salário e férias):

35 x 13,33… x 2.000 = 933.333,33

Na verdade, ele ganhará bem menos, porque acaba de passar uma legislação que acaba com a paridade de entre ativos e aposentados no serviço público. Portanto, nos últimos 15 anos de sua vida o Protógenes terá seu salário corrigido apenas pelo índice oficial de inflação, o que diminuirá o valor presente da bolada aí.

Ou seja, bem menos que o 1.000.000, 00 de dólares que ele poderia ter ganho de Daniel Dantas.

Tem mais um detalhe. Como viram ali no art. 3 do Decreto de progressão, um requisito para a mesma é “avaliação de desempenho satisfatório“. Eu tenho minhas dúvidas se Protógenes terá uma avaliação de desempenho satisfatório depois dessa.

***

Em outras palavras, nada disso faz o menor sentido, em minha humilde opinião.

About these ads