O leitor Pedro Pena faz o seguinte comentário, no post “Reinaldo Azevedo, agente penitenciário“:

Olhei uns números de população carcerária. Países como Canadá, Suécia e Alemanha não têm populações carcerárias insignificantes. São até bem altas. E vários desses países “civilizados” até ultrapassam a marca de 1%. Pesquise um pouco.

Checar informações é sempre importante, mas realmente não sei onde você olhou, Pedro. Eu usei um grande banco de dados sobre populações carcerárias ao redor do mundo, do International Centre for Prison Studies do King’s College, e usando os dados deles descobri os seguintes números para os países que você citou (os números referem-se ao percentual representado pela população carcerária em relação à população total):

  • Canadá: 0,11%
  • Suécia: 0,08%
  • Alemanha: 0,09%

Os cálculos que fiz envolveram aproximações, porque seria dispendioso procurar a população de cada país da base (basicamente fiz uma regra de três), mas cheguei aos seguintes números para outros países que acho que concordaríamos em chamar de civilizados:

  • França: 0,09%
  • Noruega: 0,08%
  • Dinamarca: 0,07%

E cá estamos nós:

  • Brasil: 0,22%

Eis a companhia mais próxima dos EUA:

  • EUA: 0,75%
  • Federação Russa: 0,63%
  • Cuba: 0,53%

Aí embaixo coloquei a tabela completa que compilei (ali pode se ver que se falarmos em população carcerária absoluta, os EUA são imbatíveis, e o Brasil aparece em…quarto lugar), e aqui está o link da página de busca do ICPS. Pesquise, Pedro, pesquise…

Anúncios