O Cato Institute ofereceu o seu Prêmio Milton Friedman a Yon Goicoechea, jovem estudante venezuelano que, diz o site da Cato, liderou o movimento que  acabou tendo sucesso em  evitar que Chávez  se transformasse em presidente perpétuo da Venezuela.  Ainda segundo o site, o prêmio, criado em 2002 (cujo nome inteiro é The Milton Friedman Prize for Advancing Liberty) premia a cada dois anos um indivíduo que tenha feito uma contribuição relevante pelo avanço da liberdade.  A estátua do prêmio é claramente inspirada em um coquetel molotov.

Duas coisas curiosas a notar:

a) Goicoechea é um sobrenome basco.  Provavelmente foi o único “basco” a quem já ocorreu ao Cato agraciar com um prêmio pela busca da liberdade.

b) Goicoechea é um estudante universitário que na verdade é um agitador de um movimento estudantil.  Não sei se 1968 já terminou lá na 1000 Massachusetts Avenue, mas deve ser também a primeira vez que o Cato chega perto desse tipo de gente.

Anúncios