You are currently browsing the daily archive for abril 13, 2008.

Podia ser pior. Deu na Folha:

Berlusconi deve vencer eleições na Itália, diz analista

Em meio à crise econômica e ao descontentamento da população com o atual governo, a Itália realiza neste domingo e nesta segunda-feira as suas eleições parlamentares. O cargo de prêmie é disputado por Silvio Berlusconi, líder do partido conservador Povo da Liberdade (PDL), e Walter Veltroni, do Partido Democrático (PD).

Para Giovani Orsina, professor de Ciência Política da Universidade Livre Luiss Guido Carli (Roma), Berlusconi é o favorito na disputa. “Mesmo que ele não obtenha a maioria no Senado, deve vencer as eleições”, disse o analista em entrevista à Folha Online.

Anúncios

Edson Alves Jr. me envia uma obra de arte que apareceu no Orkut.  Acho que merece reprodução aqui:

O circo

Madame, o grande circo da opinião
foi armado no Orkut. Bem podias
ir comigo até lá num desses dias,
para assistir a uma apresentação.

O espetáculo é farto, tem de tudo,
desde lacraus e cobras que são anjos
até lutas no ringue entre marmanjos
para ver quem tem mais razão e estudo.

Gosto dos cachorrinhos excelentes
que saltitam na escada do argumento
e, fingindo possuir entendimento,
fazem malabarismos surpreendentes,

até que alguém suspire: “I rest my case“;
mas não mudam de rota, nem a muque,
porque só sabem mesmo aquele truque
(podendo ser que ignorem o inglês).

Acho os ursos jeitosos quando os vejo
equilibrar-se sobre tábuas longas
de velhas quarteladas e milongas
(seu objeto de culto e de desejo?)

e os camelos, que apenas são mostrados
e com ar de quem veio de outro mundo
se fingem donos de um saber profundo
que adquiriram pastando outros relvados.

Verás uma serpente que se enrola
em torno de uma dama – a Liberdade –,
que não existe nada que lhe agrade
mais do que falar dela ou pressupô-la

como um tipo de presa em que o seu dente
se crava com prazer. E os elefantes!
Como são delicados e elegantes
quando se sentam sobre o tamborete

de um conservadorismo empedernido,
o único em condições de suportar,
sem se abater e sem desmoronar,
seu traseiro pesado e desmedido!

Admirarás também os bailarinos
do trapézio e da corda, habilidosos
em produzir discursos tortuosos
para fundamentar seus desatinos,

o que fazem com arte inigualada;
além, claro, do bom contorcionismo
que converte nazismo em comunismo
e faz da ideologia uma salada –

sem falar da mortal acrobacia
de quem nenhuma conseqüência mede
e se lança no vácuo, sem a rede,
cultivando inimigos noite e dia.

Ouvirás de uma leoa o amplo rugido
e verás como vai, com desafogo,
atravessar um círculo de fogo,
pousando do outro lado do sentido,

com leveza admirável; e um babuíno
que comanda uma orquestra de fulanos
(serão filhos de padres?) cujos planos,
aventados com raivas de menino,

se restringem ao sonho de algum golpe
ou de um tipo específico de assalto
que arranque o presidente do Planalto –
música que executam num galope.

Verás um papagaio que repete
esta frase: “Ninguém me refutou!”
e, já incapacitado para o vôo,
se contenta em bicar uma corrente,

enquanto um tocador de realejo
tenta fazer dançar um periquito,
falando-lhe do cosmo e do infinito
e outras coisas que sabe de sobejo.

E o grão mágico, o gênio da ilusão,
cuja arte incontestável faz milagres
(mais do que Dom Henrique fez em Sagres),
arrastando o juízo e o coração

de tanta gente crédula, disposta
a lhe dar mais que um voto de confiança
e, em meio à indecisão que nos balança,
aceitar o que diz como resposta

a perguntas que não entende bem,
mas que insiste em fazer, porque lhe importa
corrigir a verdade sempre torta
pela qual paga menos que um vintém.

Gosto principalmente dessa dama
que, de pé sobre o lombo de um cavalo,
vai, sem qualquer tremor e sem abalo,
ganhando distinção, ganhando fama,

e de quem não se diz que sabe mais
que o quadrúpede simples e ronceiro
que a conduz através do picadeiro,
dando voltas levianas, liberais –

sempre em nome do povo. E do espetáculo
aprecio o barulho, a confusão,
o sentido de urgência e comoção
(que só encontra no povo o seu obstáculo),

por algum modo novo, sub-reptício –
seja o “Fora-Lulismo” ou o “Cansei” –
de, em defesa da lei, burlar a lei,
enaltecendo o próprio sacrifício

e a própria inteligência cultivada
nos mistérios da história, da justiça
e de uma economia algo postiça
da qual, no entanto, não conhece nada.

Outros, brandindo a Veja – uma família –,
formam uma pirâmide ao redor
de algum costume insípido, incolor,
que entanto não os toca, nem humilha,

porque leram Mainardi e estão seguros
de que o mundo é um clichê que se repete
e de que em meio ao caos só lhes compete
tornar mais e mais altos os seus muros.

Alegres, os palhaços vêm à cena
(não se sabe se sóbrios ou se grogues)
sugerir que leiamos os seus blogues,
onde uma farsa lírica se encena –

sem sentido de início e de final –,
mestres do riso e da fanfarronice,
que transformam qualquer disse-me-disse
num escândalo enorme, colossal.

Verás um homem atirar punhais
contra uma adolescente que sorri
e acredita que a vida gira ali,
toda envolta em notícias de jornais;

e, a defender idéias de aprendiz,
o engolidor de espada, sempre pronto
para mais um embate ou um confronto
com quem mostra as falácias do que diz;

e o homem-elefante, que ficou
tristíssimo depois que foi expulso
de uma comuna que o julgou insulso
apesar dos canhões que disparou;

e também homens-bala, que se vestem
de Churchill, de Saddan, de Napoleão
e se projetam sobre a multidão,
que pasma dos poderes que revestem,

mas que, passado o susto, reconhece
que uma rede de inépcia e anonimato
é que tornou possível esse ato;
e assim, tão logo os viu, logo os esquece.

Verás, madame, o que jamais sonhaste,
nem no teu devaneio mais estranho,
nem nalgum pesadelo sem tamanho
(caso o teu velho tédio não te baste,

caso das emoções busques o pico).
Mas é preciso que tu vás comigo,
que deixes teu conforto e teu abrigo –
e de pronto corramos para o circo.

abril 2008
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Add to Technorati Favorites

Blog Stats

  • 1.560.445 hits
Anúncios